Imprimir | Email

Resgate de Abelhas

Por meio do projeto Resgate de Abelhas Nativas buscamos estabelecer um banco genético das espécies habitantes das áreas impactadas, especialmente das espécies mais raras, ameaçadas ou endêmicas, com vistas à sua reintrodução nas áreas em processo de recuperação ambiental.

Em parceria com a STCP Engenharia, iniciamos em 2010 um novo projeto de gestão ambiental com o objetivo de minimizar os impactos das atividades de mineração na supressão vegetal.

Por meio do projeto Resgate de Abelhas Nativas buscamos estabelecer um banco genético das espécies habitantes das áreas impactadas, especialmente das espécies mais raras, ameaçadas ou endêmicas, com vistas à sua reintrodução nas áreas em processo de recuperação ambiental.

A primeira etapa do trabalho é localização e resgate dos ninhos de abelhas antes do desmate das áreas que serão mineradas. A busca é feita nas árvores intactas e, depois do desmate, nas árvores já tombadas. É um processo de busca ativa, onde toda a área é cuidadosamente vistoriada para localizar o maior número possível de ninhos.

Os ninhos localizados são georeferenciados, ou seja: estabelecemos dados com base em sua localização geográfica. Algumas operárias de cada ninho são coletadas e montadas em alfinetes entomológicos (para insetos) que depois serão identificadas.

O resgate dos ninhos previamente localizados é feito, preferencialmente, dentro dos troncos das árvores onde estão alojados. Somente quando essa atividade não é possível é feita em colmeias artificiais de madeira, adequadas a cada espécie. Os troncos com ninhos são cortados e transportados aos locais onde ficarão definitivamente.

Os ninhos que exigem algum tipo de manejo intensivo após o resgate são levados ao meliponário, onde recebem todos os cuidados necessários até sua recuperação.

Buscamos, ainda, realizar a translocação (movimentação) de forma que os ninhos sejam instalados o mais perto possível do local onde foram resgatados, e sempre em áreas que não serão desmatadas ou que estejam em processo de recuperação ambiental.

Os ninhos translocados são georeferenciados para viabilizar o seu posterior monitoramento, que visa, principalmente, verificar a adaptação das colmeias aos locais onde foram instaladas.

Ainda faz parte do projeto, a capacitação técnica para criação de um meliponário em Porto Trombetas. Além do aspecto ambiental, o projeto também tem um foco econômico-sustentável: disponibilizar colônias de espécies de abelhas com maior potencial comercial para o desenvolvimento de atividades econômicas pelas comunidades do entorno da empresa.

 

Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta
Abelhas auxiliam na recuperação da floresta

 

Saiba mais

Informações complementares sobre o programa:


Departamento de Controle Ambiental

Rua Rio Jari S/N - Escritório Central

Porto Trombetas - Oriximiná - PA CEP: 68275.000

© 2012. MRN Todos os direitos reservados.        Política de Privacidade        Créditos Fotos