Gestão Ambiental

Acreditamos numa mineração sustentável feita de respeito social, ciência e compromisso com o planeta. Essa é a fórmula para uma gestão ambiental eficiente. Minerar gera impactos, sim. Mas respeitar o ambiente também é recuperar. E isso também é possível. ​​​​​​​​​​​​​​​

 

As premissas de sustentabilidade adotadas pela MRN estão fortemente evidenciadas em sua gestão dos resíduos sólidos industriais, cujos pilares são: o atendimento à legislação, os controles internos, a correta  destinação e a consolidação do processo de implantação do conceito estratégico de redução da geração desses resíduos.

 

Os resíduos gerados pelas diferentes áreas da MRN são endereçados aos pontos de controle e coleta localizados na área da mina e na área do porto, onde são quantificados, segregados por compatibilidade e armazenados até o início do processo de destinação. Este processo considera a natureza dos resíduos e os direciona para os eventos de incineração, reciclagem, re-refino e co-processamento.

 

A MRN acompanha todo o processo de destinação, e ainda exige e controla os Certificados de Destinação Final, emitidos pelas empresas contratadas, cujas performances - ambiental, operacional e de saúde ocupacional - são validadas periodicamente por auditorias contratadas, que dedicam, ainda, foco intensivo na rastreabilidade dos resíduos.


Importante registro documental, o Inventário de Resíduos Sólidos Industriais, realizado anualmente, é o instrumento de divulgação legal das tratativas realizadas pela MRN sobre esse assunto.  O Inventário é registrado no IBAMA, na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) e na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), seguindo a legislação ambiental vigente no país.

 

 

Unidade de Triagem e Compostagem

A preocupação ambiental também existe quando o assunto é a separação e destinação adequada dos resíduos secos e úmidos gerados nas vilas residenciais do núcleo urbano. Por isso, criamos a UTC (Unidade de Triagem e Compostagem) de Porto Trombetas.

O processo de segregação do resíduo inicia-se com a separação manual e posterior enfardamento do que pode ser reciclado: papelão, plásticos rígidos, garrafas PET, latas e latinhas de alumínio.

O lixo úmido também é aproveitado pela empresa. Enviamos o resíduo para compostagem onde viram adubo orgânico. O adubo é utilizado no projeto Jardim Somando Verde da Mineração Rio do Norte, que estimula a plantação de jardins nas residências da vila. ​

Todo o papelão é transportado e doado para a República de Emaús, em Belém, que vende o material para empresas de reciclagem ou utiliza o lixo reaproveitável na produção de materiais como cadernetas, blocos de anotação, entre outros. A verba gerada com os reciclados é destinada aos projetos desta instituição, que atende crianças e adolescentes carentes de Belém. O restante do material residual é recolhido e vendido como sucata. ​​

O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo
O destino adequado para o lixo

O processo de licenciamento de nossas atividades é realizado junto aos órgãos ambientais competentes. Dependendo do objetivo da licença ou autorização, a mesma pode ser de competência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e Agência Nacional de Águas (ANA).

Com o objetivo de receber, reabilitar e devolver à natureza animais capturados em projetos de resgate de fauna das áreas de mineração de bauxita, na Floresta Nacional Saracá-Taquera, implantamos um Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), em Porto Trombetas. O local foi licenciado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA) para funcionar a partir de 14 de fevereiro de 2012 e é o único CETAS do Pará. 

Realizamos o monitoramento ambiental contemplando a qualidade dos recursos hídricos e atmosféricos das áreas do Porto e das Minas, de acordo com as condicionantes ambientais. O objetivo principal é mitigar as possíveis interferências das atividades desenvolvidas pela empresa sobre os corpos hídricos e atmosfera na área de Porto Trombetas, bem como em seu entorno.

Por meio do projeto Resgate de Abelhas Nativas buscamos estabelecer um banco genético das espécies habitantes das áreas impactadas, especialmente das espécies mais raras, ameaçadas ou endêmicas, com vistas à sua reintrodução nas áreas em processo de recuperação ambiental.

Página 1 de 3

© 2012. MRN Todos os direitos reservados.        Política de Privacidade        Créditos Fotos